Trigésimo segundo dia – Queria ser cientista da Nasa

Acho que boa parte das pessoas, quando criança ou adolescente, acabam ouvindo a seguinte pergunta: o que você quer ser quando crescer?

Tirando o absurdo que é questionar alguém que não faz ideia do que sejam impostos, salário, custo de vida, sobre aquilo que ela quer fazer para o resto da sua existência, essa pergunta é bem comum.

Pois bem, eu queria ser Cientista da Nasa. Eu não fazia a menor ideia do que isso realmente significava em sua profundidade. Sobre precisar entender de física, matemática, química, biologia, etc, tudo para ter uma profissão que parecia ser legal…

Sou Técnico em Instalações Elétricas industriais. Sério. Cheguei a cursar uns 3 períodos de Engenharia na Universidade do Estado do Amazonas.

Atualmente sou Bacharel em Direito e Servidor Público. O detalhe é que eu fiz o concurso em 2005 e fui chamado em meados de 2007, alguns meses antes mesmo de começar a faculdade de Direito.

Sou do interior do Amazonas, uma cidade chamada Manacapuru. E eu queria ser Cientista da Nasa. Ou Médico. Sim, já prestei vestibular para Medicina.

Ah, queria ter como segunda graduação Ciência Contábeis/Contabilidade. Ou psicologia. Mas já pensei em Filosofia também.

Ok, já joguei um monte de informações e tá na hora de explicar alguma coisa.

Boa parte dos seus planos, torço para que não seja a maior parte, não vão dar certo. Ou vão acontecer de forma que não era esperada. Ou vão resultar em coisas completamente diferentes.

Eu passei em Engenharia ao mesmo tempo que havia uma chance de virar Sargento da Aeronáutica (longa história). Mas acabei optando pelo Curso Superior e 2006, época aproximada quando isso aí em cima aconteceu, foi o pior ano da minha vida. Pra compensar, em 2007 eu entrei em Direito, passei/fui chamado num concurso, comprei um carro e cometi um dos maiores erros da minha vida.

As coisas na vida vão acontecendo e não há nada que você realmente possa fazer além de: 1. Fazer planos; 2. Seguir em frente.

Mesmo que seus planos não se realizem, eles costumam ser um combustível para novas ideias e para te manter em movimento.

Não ficar parado é sempre/normalmente uma boa escolha. Claro que existem várias formas de não ficar parado. Como escrever textos diários sobre a vida, no lugar de apenas deixar os pensamentos conflitantes dentro de você…

Então, encerrando por hoje, ficam os questionamentos: o que você queria ser? O que você se tornou? E, se você pudesse mudar algo, o que seria?

Autor: Elisnei

Servidor Público. Escritor amador. Curioso e fã de tecnologia.

2 comentários em “Trigésimo segundo dia – Queria ser cientista da Nasa”

  1. Toda vez que fracasso lembro de Santos Dumont. Não o pai da aviação, mas o cara que fracassou 14 vezes antes de voar, ou saltar longe, com o seu 14 bis. E quando você acha que o cara zerou o jogo da vida, ele continuou errando. Dumont ralou mais um bocado até chegar no demoselle, para no final não patentear, permitindo a aviação que conhecemos hoje.

    Curtir

    1. Uia, não sabia que o nome era 14 bis por causa disso. Que interessante.

      Espero que você tenha todas as chances e sucessos necessários para chegar ao seu Demoiselle.

      Fique bem.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s